Evolução do Lacre

1. Os lacres atuais sem numeração
Anteriormente, o lacre era de chumbo, material cuja manipulação já é condenada em vários países pelo seu caráter cancerígeno. Sua violação ou substituição por outro lacre idêntico são extremamente simples, devido à maleabilidade do material e pela facilidade de se reproduzir o alicate autenticador.

selo_chumbo
Também os lacres de plásticos são de fácil substituição, por não serem dotados de numeração.
selo_plastico

Em ambos os casos, torna-se fácil a clonagem das placas, que vem a ser a utilização de placas "frias" em veículos semelhantes, seja para desviar multas de trânsito, seja para empregá-los em atos criminosos graves.

desenho_fastlock3
A tecnologia empregada elimina a hipótese de produzir-se um lacre com numeração repetida. Pelo seu caracter insubstituível, equivale a uma impressão digital, tornando inviável a clonagem das placas de veículos.
placa_selo_fastlock

Uma vez registrado o número do lacre no banco de dados, ao ser emplacado o veículo torna-se inútil arrancá-lo visando seu aproveitamento em outra placa ou colocar em seu lugar um outro lacre ainda não usado, porque o número do lacre original foi registrado no banco de dados, com o que estará vinculado à placa original, por sua vez referida a outros elementos informativos que compõem o chamado elo de segurança®.